A iniciativa foi anunciada pelo padre Alcides Angonese, pároco de Campos Novos, pelos membros do Conselho Pastoral Paroquial (CPP) e demais organizadores da Romaria, a maior do sul do Brasil e que completa 40 anos de bênçãos em 2017.   

Para ampliar os serviços de alimentação aos romeiros, a organização esteve reunida na sexta-feira (7), com lideranças das capelas dos bairros de Campos Novos, que irão definir a adesão até o final deste mês. Também estão sendo procurados outros parceiros como pastorais e movimentos.

A proposta é montar a praça de alimentação em uma tenda com pelo menos 12 box, no terreno da paróquia, em frente ao Santuário. A tenda já foi garantida pela prefeitura municipal, que já se dispôs também a atuar com o serviço de Vigilância Sanitária, para auxiliar e garantir qualidade à alimentação.

Antonio Marques, membro do CPP, ressalta que a organização fará todo esforço para atender com alimentação de qualidade o maior numero de romeiros. Antonio  destaca que os serviços na praça de alimentação também serão abertos para capelas do interior de Campos Novos, entidades e clubes de serviço. 

Logística 

Além da tenda para a praça de alimentação, o secretário Ademir Beber da Indústria, Comércio e Turismo, disse que a prefeitura dará apoio logístico à Romaria. Ademir cita que estão em estudo: a contratação de um trio elétrico para a procissão; placas de sinalização e flayer com o mapa para chegar ao Santuário; montagem de um palco suspenso para a missa e para o show religioso com o padre Ezequiel Dal Pozzo; banheiros públicos e grades para organizar a chegada e saída do público.   

Apoio de dom Mário 

Neste domingo (9) o bispo diocesano dom Mário Marques, esteve presidindo celebração no Santuário Aparecida, para instituição e renovação de votos de 27 Ministros Extraordinários da Comunhão Eucarística (MESCES). Na oportunidade, dom Mário registrou seu apoio aos preparativos para a Romaria, ressaltando que o evento é de nível estadual, devendo preservar o ambiente de religiosidade.  

A proibição de ambulantes na área religiosa da romaria deverá ser oficializada por meio de projeto de lei da prefeitura, a ser aprovado pela Câmara de Vereadores.

Roseli Rossi Lara - Rede Scalabriniana de Comunicação