Ao Vivo
 
 
Siga ao vivo

Saúde e Bem-estar

                                                                <strong>Vigilância Sanitária de Campos Novos recomenda cautela na exposição de fornecedores em redes sociais</strong><br />
 

Vigilância Sanitária de Campos Novos recomenda cautela na exposição de fornecedores em redes sociais
 

A Vigilância Sanitária de Campos Novos emitiu nota nesta sexta-feira (16) e comentou a denúncia feita em redes sociais, sobre o encontro de larvas de insetos em lanche comprado em uma panificadora de Campos Novos. A exposição das imagens com o lanche e as larvas ocorreu durante o feriadão de carnaval. Segundo o fiscal Mário Arthur Favretto, a denúncia não foi repassada para a Vigilância Sanitária. Ele entende, entretanto, que o caso é preocupante e serve de alerta para consumidores e comerciantes. Mário Favretto diz que a panificadora mencionada nas redes sociais "nunca havia sido autuada, nem mencionada em denúncia ou reclamação e, que em todas as inspeções realizadas no local, o estabelecimento encontrava-se em rigoroso asseio e em conformidade com as normas de Vigilância Sanitária", assegura.  A Vigilância Sanitária faz também outras observações como por exemplo: "Para confirmar se as larvas encontradas no lanche eram originárias realmente da panificadora, um dos primeiros quesitos seria saber há quanto tempo havia sido comprado o produto e em que condições foi mantido na casa do consumidor";  Observa também que "segundo informações que a Vigilância recebeu a reclamação por parte da consumidora ocorreu dois dias após a compra do produto e que, dependendo das condições em que o produto ficou armazenado na residência, trata-se de situação que já poderia resultar na colonização por larvas de moscas";  Além disso, segundo a vigilância "seria necessário determinar se o desenvolvimento em que se encontravam as larvas permitiria auxiliar a determinar se a contaminação com os insetos ocorreu antes ou depois de o produto ter saído do estabelecimento produtor";  Sem o repasse das informações e sem a obtenção de informações precisas, a Vigilância Sanitária, entende que "as denúncias podem ferir a imagem de pessoas idôneas e que não agiram de má fé. Desta forma, diz que é de extrema importância que as pessoas tenham cautela ao realizar exposições midiáticas exasperadas expondo a si mesmas e estabelecimentos comerciais, sem ter certeza absoluta da situação que resultou no fato", pondera Mario Arthur Favretto, fiscal da Vigilância Sanitária.  Roseli Rossi Lara - Rede Scalabriniana de Comunicação  Confira a nota na íntegra:  A Vigilância Sanitária vem por meio do presente documento prestar algumas informações sobre um encontro de larvas de insetos em um lanche comprado em uma panificadora no município de Campos Novos, situação que ganhou repercussão em redes sociais do município. É importante ressaltar que oficialmente a denúncia sobre esta situação não foi repassada para a Vigilância Sanitária, mas alguns detalhes sobre o ocorrido, conforme informações que conseguimos ter acesso, são preocupantes e servem de alerta para consumidores e comerciantes. Informamos que a panificadora onde supostamente foi registrado o problema nunca havia sido autuada, nunca havíamos recebido nenhuma denúncia ou reclamação sobre o referido estabelecimento e, em todas as inspeções realizadas no local, este sempre encontrava-se em rigoroso asseio e conformidade com as normas de Vigilância Sanitária. Para confirmar se as larvas encontradas no lanche eram originárias realmente da panificadora, um dos primeiros quesitos seria saber há quanto tempo havia sido comprado o produto e em que condições foi mantido na casa do consumidor. Principalmente caso tenha sido um lanche que fique sem embalagem fechada. Segundo informações que recebemos, a reclamação por parte da consumidora ocorreu dois dias após a compra do produto, dependendo das condições em que o produto ficou armazenado na residência, trata-se de situação que já poderia resultar na colonização por larvas de moscas. Nem todas as moscas depositam apenas os ovos sobre fontes de alimentos, algumas são vivíparas, depositando diretamente as larvas sobre fontes alimentares, situação, por exemplo, de moscas da família Sarcophagidae que são saprófagas (se alimentam de matéria em decomposição). Outra situação que requer cautela é, se em caso de as larvas serem originárias de moscas que depositam ovos (ovíparas), se o tempo de encontro das larvas coincide com o tempo de incubação necessária para eclosão das larvas desde o dia de produção dos alimentos ou com os dias em que estes estavam no estabelecimento comercial. Desta forma, a análise dos ínstares (estágios) de desenvolvimento em que se encontram as larvas permitiria auxiliar a determinar se a contaminação com os insetos ocorreu antes ou depois de o produto ter saído do estabelecimento produtor. Em resumo, sem o repasse das informações para a Vigilância Sanitária, e nesta situação, sem a obtenção de informações precisas, as acusações, entre ambas as partes podem ser infundadas. Acabando apenas por ferir a imagem de uma pessoa idônea e que não agiu de má fé. Sempre que recebemos uma denúncia na Vigilância Sanitária procuramos ter cautela, pois assim como existem situações em que um comerciante age com má índole, o mesmo também pode ocorrer por parte do consumidor ou denunciante. Diversas vezes já recebemos denúncias (algumas falsas) originárias de intrigas entre comerciante e consumidor (as vezes até mesmo pelo fato de o comerciante se recursar a vender fiado), intrigas entre vizinhos ou parentes, etc. Desta forma, é de extrema importância que as pessoas tenham cautela ao realizar exposições midiáticas exasperadas expondo a si mesmas e estabelecimentos comerciais sem ter certeza absoluta da situação que resultou no fato. Mario Arthur Favretto
Programa Saúde do Trabalhador leva prevenção aos colaboradores das empresas de C Novos 

Programa Saúde do Trabalhador leva prevenção aos colaboradores das empresas de C Novos 

Foi lançado na manhã desta quarta-feira (7), o Programa Saúde do Trabalhador, por meio de uma ação conjunta das secretarias de Indústria/Comercio/Turismo e Saúde. Pelo programa uma equipe multiprofissional oferece gratuitamente a coleta de exames laboratoriais e orientação para ginástica laboral, na própria empresa. A primeira empresa beneficiada foi a Loja BK Modas, que recebeu a Unidade Móvel do Programa Saúde do Trabalhador. A secretária de Saúde do município, Sandra Maria Rosar Bresola, explica que o programa tem como foco a prevenção de doenças.   Já a proprietária da Loja BK Modas, Elaine Kemer, considerou importante o programa para as empresas e seus colaboradores.  Para agendar horários, os empresários devem marcar com a Secretaria de Indústria, Comércio e Turismo, explicou o diretor da pasta, Vinicius Serena. Edição - Roseli Rossi Lara/ Reportagem Fábio Machado